Funcionamento no feriado do Dia do Trabalho
29 de abril de 2020
Exibir tudo

Como e quando devem ser feitos os testes para Covid-19

Sabe-se que a ampla realização de exames é um indicativo importante para se ter um retrato mais apurado das infecções por qualquer doença transmissível, inclusive do novo coronavírus (da Covid-19). Apesar da recomendação do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, os testes para Covid-19 não estão sendo aplicados em massa na população, principalmente pela escassez de insumos para realizar tais exames.

Diante deste desafio, autoridades em saúde e laboratórios de todo o país (e de outras nações que enfrentam o mesmo problema) estão se guiando por dois pilares para a realização de tais exames. São eles: pacientes com sintomas de síndrome gripal e a avaliação da imunidade adquirida.

Pacientes com sintomas de síndrome gripal

Para confirmar a ocorrência da Covid-19 em um paciente sintomático, entre o 1º e o 14º dia de sintomas, deve ser realizado um exame definido como padrão ouro, que tem o aval de sociedades científicas como a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial (SBPC/ML). Este teste é realizado para identificar o material genético do vírus Sars-Cov-2 em amostras respiratórias por RT-PCR.

Apesar de fundamental para a identificação das infecções, esta tecnologia enfrenta hoje uma escassez global de equipamentos e insumos, esbarrando na dificuldade de aquisição e de logística. Por conta disso, ele está sendo indicado prioritariamente para diagnosticar pacientes em fase aguda da doença, ou seja, aqueles com os quadros mais graves e critérios para internação.

Outra ferramenta que passou a ser indicada de forma complementar são os testes imunológicos. Esta modalidade pode ser feita de forma automatizada em laboratórios ou por meio de testes rápidos. Os exames são baseados na avaliação da resposta do organismo à infecção com a produção de anticorpos.

Para serem efetivos, os testes imunológicos ou rápidos devem ser realizados somente após o 8º ou 10º dia do início dos sintomas. Isso porque o organismo leva certo tempo para criar esses anticorpos e este período pode variar de pessoa para pessoa. Se for realizado antes deste período, o exame pode indicar um falso negativo. Por este motivo, este tipo de teste não possui precisão suficiente para ser utilizado como triagem de quadros respiratórios nos primeiros dias de sintomas.

Avaliação da imunidade adquirida

Os testes imunológicos ou testes rápidos também avaliam a presença de anticorpos em pacientes já curados da doença. São utilizados para entender qual percentual da população teve contato com a Covid-19, identificando a proporção de pacientes assintomáticos ou com sintomas leves, que não chegaram a realizar o exame nos quadros de internação.

O momento ideal para a realização deste tipo de teste seria quando boa parte da população já tivesse sido exposta ao vírus. No Brasil, este momento ocorrerá quando a curva de infecções diárias estiver decaindo. As informações levantadas pela realização dos testes são importantes para entender a epidemiologia e a necessidade de cobertura vacinal, quando isto for possível.

Os exames só têm sua importância na compreensão e enfrentamento de epidemias quando realizados conforme indicações das autoridades de saúde, melhor aproveitamento de recursos e no momento certo para pacientes e curva epidêmica.

Leia também: Estudo comprova que máscaras limitam a transmissão do novo coronavírus (COVID-19)